segunda-feira, 12 de janeiro de 2009






Arrasto meus passos em caminhos infinitos
Espectros povoam minha mente
E o amanhã me desespera
Consolo-me na espera da noite e suas luzes estrelares
Às vezes mulher obscura
Às vezes mulher de raros tesouros
Às vezes estremecida de espanto
Em verdade agonizo, parada no meio fio.

Michelle Matias

Nenhum comentário: