segunda-feira, 12 de janeiro de 2009





Decidi.
Vou forjar uma fuga
Não vou deixar pistas, sinais visuais...
Vou vestir meu vestido de chita,
Fumar ópio
E livrar-me da má influência dos signos astrais
Que sempre diz: Hoje é seu dia de sorte
Vou ser minha própria sorte.
Não vou morrer na fogueira da rotina
E nem me apegar às efemeridades das coisas
Serei o próprio efêmero.
O meu próprio caminho (ou desvio.).

Michelle Matias

Um comentário:

marden disse...

Esse é o meu preferido!

Tenho cá pra mim que a srta tem mais de poeta do que de professora de literatura, viu!