sábado, 8 de maio de 2010





Se de fato as coisas acabam
tenho em mim um santuário
Em que preservo
o que me faz eterno...


M.M.

3 comentários:

Leo Lemos... disse...

forte e simples. Que bom.
Desculpas, pedido de fim, S.O.S.
estoupensandomedespindodepreconceitos.blogspot.com/2010/03/desculpas-pedido-de-fim-sos.html

Juro que não queria ser assim. Também não queria que as coisas fossem assim... queria que a vida fosse mais simples, já disse. Também gostaria muito que todos fossemos felizes sem dever a ninguém, quem sabe sem precisar de ninguém. Também não quis derramar todas as lágrimas que chorei nas últimas noites em que seu telefone apenas chamou, em que eu apenas te chamo para ouvir suas vozes e, dentre uma delas, achar aquela pela qual me perdi nessa tempestade de amor.
Tanto imperfeito todos esses pretéritos... às vezes sinto que fui condenado a isso: ao achar uma pessoa para amar, ficarei preso a 'gostarias', 'adorarias', 'queria', 'seria'... Se antes a dor também fosse imperfeita...
Também queria que não doesse, mas é uma chaga tão grande, vermelha, em brasa e carne viva, pulsante a cada segundo que dói mais e mais e mais.

É característica dos românticos o exagero, talvez você responda, e não digo que não, mas queria que sentisses o que sinto agora para definitivamente compreenderes enfim.
Pois digo que amor não é pacado, e reafirmo que meu sentimento puro não gostaria de cobrar nada de você, mas seu silêncio me desespera e entristece... a mesma vida que me trazes a cinco minutos que estás é roubada por completo quando... quando desapareces. E nessa confusão de incertezas, fico eu sempre insistindo, sempre eu pedindo desculpas, sempre eu me machucando enquanto aparece-me, dia a dia, altiva, ainda que pávida nesses poucos segundos que seus olhos não me mentem...
E me meio a tudo isso só queria pedir-te desculpas, dessa vez pela última vez... amor romântico é muito bonito, mas se não me queres em absoluto não há nada que possa, eu, fazer por nós. É amor o que vos sinto, mas se não lhe serve, não tem problema, ai de mim que sou assim.
Um dia passa. E que até lá, você descubra que a pressa não é necessariamente ruim quando se passa a vida a esperar. Se você pode, parabéns, mas eu já não posso mais.
Amo-te, como sempre.

Letras disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Michelle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.