terça-feira, 6 de março de 2012

Pesos e medidas





Tantos dias sem te ver deram-me liberdade
E todas as suas possibilidades
Um presente assustador este livre-arbítrio.


Tantos dias sem te ver deram-me sensatez
Ter nas mãos o peso, a medida
Entender porque tanto talvez.


Tantos dias sem te ver deram-me quietação
Aconchego-me melhor na cama
Concedo todos os nãos.

Tantos dias sem te ver deram-me desembaraço
Para me ver só, entender o que faz falta,
Misturar os restos, desatar os nós.


Tantos dias sem te ver deram-me caminho
Para ir atrás de descobrir
Nosso princípio, meio e fim.


M.M.



Nenhum comentário: