sábado, 26 de janeiro de 2013

“Deve ser o nosso jeito de sobreviver – não comendo lixo concreto, mas engolindo esse lixo moral e fingindo que está tudo bem”.Lia Luft







Nada de especial. Todos felizes que suas novas aquisições tecnológicas, um carro do ano, uma casa confortável com toda sua ostentação de última geração. Belas viagens, festas interessantes cheias de gente interessante com suas fotografias para rede social. Nada de surpreendente. Todos acordam cedo vão para o trabalho ganhar seu dinheiro para pagar as 12 parcelas da Casa Bahia, academia, a parcela do iphone, a cerveja para esquecer um pouco da vida. Nada de original. Domingo almoço com a família, sorrisos amarelos, a velha e boa hipocrisia. Nada de admirável. Fulano mudou de namorada, mais um casal chegou ao final, todos comentam os novos boatos, os capítulos da novela, a nova chacina do jornal. Nada de novo. Todos sempre se  rendem ao trivial.

 M.M.

domingo, 6 de janeiro de 2013

Labirintos






Eis-me aqui
Depois de todas as ilusões quebradas
Todas as dores intactas
Todas as verdades que destruí


Releio meu caderno de memórias
Abro todos os armários
Nada de novo no calendário
Além das mesmas histórias...


Mas, tudo onde deve estar
Toda  subversão exposta
Toda vontade imposta
Cada coisa em seu lugar.


Apenas alguns novos esconderijos
Singelos segredos submersos
em sentimentos perdidos...



M.M.