terça-feira, 21 de maio de 2013

Recomeço





Nesse seu resguardo sofrido
Calados gemidos...
Colhidos entre os frágeis dedos
Calejados pela solidão

Nada lhe faz mais sentido
Tanta luta, por tão pouca solução.
De repente tudo submergi
Entre sonho e desilusão...

Mas tudo não foi colhido
Desde que plantou orgulho
Vaidade e pretensão?

Nesse seu obscuro desalinho
Pegue os rastros e espinhos
E transforme em oração...

M.M.

Nenhum comentário: